quinta-feira, 26 de março de 2015

Ainda sobre o bullyng

Porque muita gente ficou a pensar que era exagero falar em bullyn,  porque em muitas cabeças bullyng é só bater e é só com malta mais crescida, aqui fica um artigo que li ontem no blog O nosso T2 da Tânia Ribas de Oliveira onde podemos ler os sinais a que devemos estar atentos.

Foi alguns destes sinais que detectei na Teresa e me fez estar alerta, pena que outros pais não liguem as antenas para perceber o que se passa com os seus filhos, sejam eles vitimas ou agressores.

*******************************************
ESTARÁ O SEU FILHO A SER INTIMIDADO?

"Ele repetidamente diz que um determinado menino está a “incomodá-lo”, “chateá-lo”, ou a ser mau para ele, ou quando diz: “As crianças são más comigo.”, “Eu odeio o…, e eu não quero brincar mais com ele.” "

 "Ele faz comentários depreciativos sobre si mesmo, como “Eu sou estúpido” ou “Ninguém gosta de mim.” "

OU O SEU FILHO É AQUELE QUE PROVOCA O DESCONFORTO NO OUTRO?

• O seu filho precisa de se sentir poderoso e no controlo?
• Ela sente que não faz nada de mal?
• Mostra pouca empatia pelos sentimentos dos outros?
Não desespere se respondeu sim a alguma destas perguntas. Não significa necessariamente que seu filho é um bully. Mas uma criança com estas características pode transformar-se num agressor. A maior bandeira vermelha é se seu filho parece gostar de insultar, humilhar ou atacar outras crianças.
Este tipo de agressor pode ser difícil de parar, se for o caso, procure ajuda profissional. É um comportamento preocupante, mas pode ser tratado.
********************************************
Estes foram os principais sinais na Teresa.

E os pais da menina que "agride" a Teresa deviam estar mais alerta, pois de certeza que já viram alguns destes sinais.