domingo, 22 de março de 2015

Vamos devolvê-los à terra

"Vamos devolvê-los à terra, ao lugar onde eles pertencem. 
Desligar as televisões, os computadores, os telemóveis 
e quaisquer outras distracções, e levá-los lá para fora. 
Deixá-los correr no mato, rebolarem na terra enlameada, saltar pedras num riacho, 
correr de braços abertos numa seara. 
Abraçar árvores, plantar coisas que brotam da terra. 
Colher flores e respirar fundo os aromas das florestas. 
Vamos deixá-los construir casinhas de troncos e subir árvores, descer o monte a correr e sentir o vento no rosto. Temos mesmo de devolvê-los ao lugar onde eles pertencem, à terra que deles tanto precisa."

Há dias a Sofia dos Pais com P Grande publicou este texto e a Teresa leu e gostou. 
Hoje a Teresa os manos e a Gabriela e o Tiago  foram da terra, e só dela. 
Que grande tarde. 
Correram descalços nas poças de lama deixada pela chuva que caiu de noite.
Brincaram na areia molhada do parque infantil.
Molharam-se (ainda mais) com uma mangueira ligada.
Sentiram borboletas na barriga e o vento na cara ao andar de baloiço.

Hoje eles foram muito felizes, riram, deram grandes gargalhadas, fizeram rodas, correram, escorregaram, caíram, e voltaram ao principio. 
Comeram muito bolo, deram sorrisos, cansaram-se, sujaram-se.

Agora estão todos a dormir mas hoje os sonhos  são salpicados de água e lama, de vento e chuva.

Hoje até viram a lua nascer. 

Enquanto isto tudo acontecia, entre eles e a mãe Terra, nós mães e pais conversamos, conhece-mo-nos melhor e bebemos café com bolo. Hoje nós também fomos muito felizes. E que bom é ter alguém com quem partilhar tantas histórias de filhos e lama. 

Sim, teriam sido fotos lindas, mas como disse, foi uma tarde deles e da Terra, só deles e as fotos iam estragar isso.