segunda-feira, 17 de julho de 2017

Arqueologia em Vale de Boi

É já um ritual anual, a nossa peregrinação ao serro onde estão as escavações arqueológicas de Vale de Boi. 

Ainda não havia o Dia Aberto e nós já lá íamos todos os anos, agora com esta abertura ao público ainda melhor. A equipe do professor Nuno Bicho já nos conhece, e já consegue ver as diferenças nos nossos miúdos, de ano para ano! Estão crescidos ... e são mais! (começamos a lá ir tínhamos ainda só o Tiago e a Teresa!)

O ano passado falhamos neste ritual porque eu estava muito grávida, mas este ano lá fomos, numa tarde bem quente, ver como estavam a correr os trabalhos.

Os miúdos gostam da parte de descobrir ossinhos e pedrinhas na terra com as peneiras, e foi isso que fizeram nesta visita, até a Rosita pôs a mão na terra (e terra na boca, claro)!








A descoberta de uma pedra que servia como faca para cortar ossos mais duros.




A Rosita a fazer o que melhor sabe onde e quando lhe apetece!


Rosita carregada num sling de argolas fresco e confortável da Crianza Natural


domingo, 16 de julho de 2017

A paragem!

Aqui se faz adeus a quem parte, aqui se abraça quem chega, aqui brincam os miúdos da escola enquanto o autocarro chega e não chega, aqui se juntam senhoras a ver quem passa.

Apesar de não passarem em Budens os expressos de longo curso, este foi o mote para esta grande obra de arte. As lembranças de quem partiu, o que fica para trás, a infância, a juventude, os velhos, o moinho ... a aldeia.

Não sei o nome de quem pintou, sei que foi um rapaz e uma rapariga, com mestria de quem sabe desta arte, deixaram a paragem linda e com vontade de lá parar.

As pinturas são tema de conversa, é giro ouvir as várias opiniões e interpretações. Dá vontade de sentar e apreciar. Adoro o pormenor da miúda no triciclo de cuecas à mostra! Gosto das cores, gosto de imaginar o que pensa o homem deitado, o que levará na mala.

Gosto das letras em grande destaque, quem chega sabe que chegou a Budens!









Assim ao longe até quase que o Tiago passa por viajante! 



Claro que agora há quem vá dizer que isto é tudo por ser ano de eleições ... olha e se for, pelo menos ficou obra feita, e bonita! (muito mais há a fazer ... digo eu que nem gosto de politica!)

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Olha que dois!

Um a preto outro a branco, mas eles lá se entendem entre os tachos e panelas. Tal pai tal filho e se um cozinha bem o outro já não lhe fica muito atrás.

Juntos cozinharam para um jantar de aniversário, que deixou toda a gente deliciada. Uma ementa criada a rigor, cheia de paladares interessantes que fizeram com que quem degustou fizesse uma verdadeira viagem de sabores.

Mais se seguirão, e o raio do puto até fica bem de jaleca!












quinta-feira, 13 de julho de 2017

João, o rapazinho!

O João já fez 8 anos! Passaram a correr e ele está com ar de rapazola, principalmente depois do novo corte de cabelo. Já não quer que seja o pai Fura Bolos a cortar-lhe o cabelo, já não quer ser um dos nossos escovinhas (já só resta o Zé).

Como estão todos de férias optamos por um almoço em família e ao fim da tarde fomos juntar-nos à festa de aniversário do Até à Lua .

Aqui ficam umas fotos da festa, que apesar da grande ventarola (para não dizer bezaranha de levantar tudo nos ares), foi bem divertida e diferente.



Irmãos aos pares!!




 A festa no parque!



A vela possível! Um fosforo que aguentou uns segundos aceso, até o vento, ups, até o João o apagar!





O futuro está no xilofone!


Ou no diablo!




E os resistentes ainda ficaram para ouvir a Julieta improvisar uns sons na viola do Nuno (Até à Lua)


quinta-feira, 6 de julho de 2017

Jogos de tabuleiro - um mundo novo!


UAU!! 
Eu sou da geração do Monopólio, do Cluedo, do Jogo da Glória, do Ludo ... Damas ... Risco e eram horas a jogar estes jogos. 

Ontem peguei nos 6 e fui Até à Lua, um espaço ESPETACULAR onde apetece passar muitas horas, fazer serão. Ora um bom serão envolve jogos e na Lua é o que não falta! 

Às quartas feiras é noite de Jogos de Tabuleiro e eu confesso que ia à espera de uns quantos jogos de dado, casas para trás e para a frente e pouco mais e de repente descobri um mundo novo!! Afinal já não são bem os jogos a que eu estava habituada!! 
UAU, são cartas lindas, são regras engraçadas, são estratégias, é rapidez ou esperteza, é silencio ou cantigas ... 

O Nuno tem um armário (mesmo um armário dos grandes) cheio de jogos de mesa, os miúdos arregalaram os olhos assim que a porta do armário se abriu e não foi difícil começar por um, e depois outro e outro e outro ... Nem sei quantos jogaram! 

Enquanto os 3 mais velhos se envolviam cada vez mais nos jogos com o Nuno, a Joana encarregou-se de tirar de um outro armário jogos para os mais novos. Acho que de cada vez que a Julieta pediu outro jogo a Joana trouxe não 1 mas 2 e cada um parecia melhor e mais desafiante que o outro. 

Eu fui conversando e distribuindo o piquenique que levei para o nosso jantar na Lua! Sem dúvida uma noite bem diferente, das 19h30 às 23h30 os miúdos deliraram com este mundo novo, na Lua. 
Ficaram fãs e com vontade de ir todas as 4ªs feiras, talvez dê, durante as férias pelo menos e até eu quero para a próxima jogar também, que desta vez estive mais com a Rosita e o Zé.

Podem consultar todas as actividades do Até à Lua aqui, um espaço ESPECTACULAR em Lagos. 













quinta-feira, 29 de junho de 2017

Palavras caras

Quando vou buscar o Zé à creche costumo perguntar-lhe como foi o dia dele. Claro  que tenho que fazer perguntas que ele entenda mas principalmente que lhe dê oportunidade de dar respostas completas, mais que um simples sim ou não. 

Hoje uma destas respostas deixou-me a rebolar a rir e ao mesmo tempo de boca aberta com o vocabulário! 

- Zé, então hoje o A. esteve na escola? 
- Não, estava AUSENTE. 
- Desculpa?? - perguntei eu num misto de espanto e riso
- Sim, quando o A. não está é porque está AUSENTE!

Sentada ao computador estava a Julieta (6 anos), que se vira e pergunta: 
- Oh, mãe o que é que quer dizer AUSENTE? 

Pronto, que o Zé fala muito já nós sabíamos, não sabia é que ele tinha tanto "dinheiro" para gastar em palavras destas! 

Zé - 2 anos, 10 meses e 20 dias! 

 

segunda-feira, 26 de junho de 2017

“O Olhar do Pintor - O Monumento como motivo artístico”

Mais uma vez, a Ermida Nossa Sra da Guadalupe! 

A Ermida de Nª Sra de Guadalupe acolhe o projeto “O Olhar do Pintor – O monumento como motivo artístico”, que irá decorrer no domingo, dia 25 de junho, através de duas sessões de pintura ao ar livre : das 10h30m às 13h e das 15h às 17h3om.

A participação é dirigida a todos a partir dos 12 anos, ou dos 8 anos desde que acompanhado por um familiar, e não requer formação em pintura. Em cada sessão haverá uma abordagem à história do monumento, à função dos materiais e regras básicas da pintura a óleo.

Projeto concebido e realizado pela Artadentro - Arte Contemporânea - Associação, é destinado a todos aqueles que se interessem por pintura ao ar livre e tem como objetivo quebrar o preconceito da pintura como expressão plástica difícil e destinada apenas a alguns, promover a participação, a aprendizagem e a experimentação e proporcionar a criação da memória de uma experiência e de um lugar através de um novo olhar sobre o monumento e a sua envolvente.

Todo o material será disponibilizado gratuitamente pelos formadores/dinamizadores, os artistas plásticos Ana André e Vasco Vidigal, sendo a tela final propriedade de seu autor.

A participação é gratuita e requer inscrição prévia com indicação de nome, idade e contato telefonico para: artadentro@hotmail. com .

Esta é uma iniciativa do ciclo Mãos no DiVaM, do programa de Dinamização e Valorização dos Monumentos da Direção Regional de Cultura do Algarve, DiVaM 2017- Lugares de Globalização.



E quando li isto, pensei logo: VAMOS! 
E FOMOS! Não fomos todos pois teve que haver uma selecção por idades, ora se era para mais de 8 anos, podia ir o Tiago e a Teresa, mas e o João? Faz 8 anos daqui a dias e tem tanto jeito para desenho... 

Lá nos inscrevemos, em principio eu já não tinha vaga, mas ao chegar lá estavam a sobrar cavaletes, sedentos de quem quisesse pintar e eu também pintei! 






Escolher os pincéis e perceber que diferentes tipos há.


As paletas já com as tintas e bem postas na mão, aqui houve um imprevisto, o Tiago é canhoto, tiveram que trocar as tintas para o lado contrário da paleta, pois, às vezes nem pensamos nestas pequenas coisas, mas fazem diferença.


Os 3 artistas enquanto ouviam explicações sobre pintura.



A concentração de cada um!







Bom, se fosse para viver da pintura não dava ... mas para primeira experiência até que nem ficou mau! A minha visão da ermida, oleo sobre tela, por Ana Custódio, 2017!


E aqui todas as obras de arte desta manhã, que teve chuva, pingos grossos, céu azul que depois de pintado passou a cinzento, sol mas acima de tudo teve criatividade.




Mais uma daquelas actividades mesmo aqui à nossa porta que não há como perder!