sábado, 18 de fevereiro de 2017

Mais uma primeira vez

Porque na maternidade tudo é novo, sempre, alguma vez será sempre a primeira vez, e desta vez falo de creche.

Até agora todos os nossos filhos tinham ficado em casa, nossa ou dos avós, até aos 3 anos e depois entravam na pré primária aqui da aldeia, onde a educadora é a mesma desde o primeiro e até já se tornou nossa comadre, porque é madrinha do Zé.
Isto era o normal, a certeza, o caminho fácil por ser o  já trilhado há anos, mas por vezes há outros caminhos que se cruzam e aí temos que fazer escolhas.

A creche, o bicho papão, filhos meus ainda bebés a ficarem com gente estranha, gente que não dá colo, salas cheias de bebés a chorar, rotinas forçadas, desfraldes abruptos ... era isto que eu tinha na cabeça. (não que conhecesse, mas era assim que o meu coração pensava)

Com a Rosita pequenina, o Zé a pedir muita atenção e a Amamenta Algarve a precisar de muito trabalho para também crescer, estava a braços com 3 filhos em casa e às tantas não dava a devida atenção a nenhum deles, mas e eu via isso? Pois que desconfiava, mas quando o coração não quer os olhos não vêem.
Admito que fiquei sem chão quando percebi que o caminho me estava a empurrar para colocar o Zé na creche (aquele bicho papão) e eu não queria nada, tinha feito uma cruz em cima desse bicho e tinha MEDO, sim, porque uma mãe de 6 tem medo, muitos medos, medos x 6!

Os olhos iam rasos de água quando fui perguntar se havia vagas, com medo de ouvir a resposta, trouxe os papeis, tratei da parte prática, sempre de coração apertado. Depois fomos lá, os 3, eu o pai Fura Bolos e o Zé e o bicho papão ...

As pessoas que não dão colos, estavam lá, raparigas sorridentes, sentadas no chão com meninos ao colo.
As salas com bebés a brincar, um piriquito que canta alegremente na gaiola.
Uma educadora que nos ouviu, que quis saber quem é o Zé, como queremos fazer as coisas.
E assim, em menos de nada, quase como fazemos aos nossos filhos quando eles acordam de noite com medo do bicho papão e lhes afagamos o cabelo, afastámos o bicho, ou ele afastou-se e deixou-se ver de outra maneira.




O Zé teve ontem o seu primeiro dia de creche, de escolinha, e teve direito a ser acompanhado pelos manos que fizeram questão de o ir levar, mesmo sabendo que depois tinham que subir a rua a correr para não chegarem muito atrasados à escola. Só o mano Tiago faltou a esta "cerimónia" mas foi depois busca-lo de tarde.

O Zé fez um beicinho quando eu lhe disse que ia trabalhar e já voltava, mas ficou bem. Brincou, comeu, foi à casa de banho (sim, porque aos meus olhos ainda não estava desfraldado, e afinal está!) e até dormiu a sesta sem dramas.

Sempre de olhos bem abertos, mesmo esbugalhados, a observar e absorver tudo, calmo e meigo, foi assim que nos contaram o 1º dia.

Pronto, obrigada Zé, meu filhote, que me deste a oportunidade de conhecer outro caminho e me fizeste perder o medo dessa desconhecida que era a creche.


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Fuminhos e muito babywearing!

Este tempo é o que é, estamos em Fevereiro, no tempo das amendoeiras em flor e das constipações!

Cá em casa não podia deixar de ser diferente, tosses, ranhos, algumas febres, pés descalços na tijoleira (alguém lhe explica que é meio caminho andado para ficar doente?), casacos ( ou não, também precisam de umas explicações sobre agasalhos) e até não me posso queixar porque tem andado tudo mais ou menos calmo neste campo.

Mas a nossa Rosita não se aguentou, e do ranho passou à tosse e da tosse a muita expectoração e da expectoração à bronquiolite!

Foi ontem à noite quando ela acordou aflita a tossir e com nítida falta de ar, que eu me vesti à pressa, vesti-a e em 25 minutos estava a sair de casa, numa noite tão fria, mas a seguir o meu instinto de mãe.
O hospital não fica perto, está cheio de bactérias e outras coisas más, a noite estava fria, a lareira estava acesa, mas pesando tudo na balança, o meu coração de mãe (e o pai Fura Bolos também) ditou que saísse de casa e fosse com a Rosita ao hospital.

Viagem tranquila, estacionei, meti a Rosita no mei tai, mochila às costas, mantinha a cobri-la e lá fomos. Simples!



Uma espera de 2 horas, sim, leram bem 2 horas de espera para uma bebé de 6 meses, em que eu dormi e ela também, viva o babywearing, e depois o veredito. A dra não teve dúvidas assim que a viu e ouviu, uma bronquiolite.


Na sala de tratamentos fomos fazer os fuminhos, o aerossol, e a Rosita não gostou de ser acordada para isso, mas nada que o voltar para o pano não resolve-se! Tanto enfermeira como doutora admiraram o prático que era.

video


Foi uma noite longa, cheguei a casa quase às 4 da manhã e com uma prática enorme em atar e desatar o mei tai com 1 ou duas mãos, mas tenho a certeza, que se eu não carregasse a minha Rosita tinha sido mais difícil (aqui falo com conhecimento de causa, em tempos idos também já carreguei com ovinho ou carrinho para as urgências, a minha mala e a mala do bebé ... não dá jeito nenhum, afirmo!)

Agora em casa continuamos, muitos fuminhos e mais babywearing ainda pois só assim ela fica sossegadinha e descansa.

Agasalhem-se bem, e se puderem, carreguem os vossos bebés!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

45 - Pai Fura Bolos

Hoje o pai Fura Bolos fez 45 anos! É um numero que já manda algum balanço, bolas!! 45 !!

Porque todos os dias são especiais, por umas coisas ou por outras, hoje foi dia de bolo de cenoura, pois então e família à volta da mesa para um lanche rápido, porque há escolas, há trabalho, há vida!

Chá e bolo, velas, e palmas. 45 anos do pai Fura Bolos e 6 meses de Rosita!



Pelo quadro atrás do pai Fura Bolos dá para ver que a vida não pára!! 

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Curso Assessoria Lactação - ALGARVE

Tenho andado cheia de trabalho, mas daquele bom! 
A Amamenta Algarve é um projecto muito aliciante e desafiador e dá-me a oportunidade de organizar e participar em eventos de muita qualidade. 

Este curso é um exemplo disso. 
A quem possa interessar, a não perder, sem dúvida. 






  • Gostaria de apoiar mães e bebés na amamentação de forma profissional?
  • Quer aumentar as suas capacidades e conhecimentos sobre a fisiologia da lactação humana?
  • Deseja atualizar a sua formação nas áreas da parentalidade e saúde materno-infantil?
  • Quer fazer parte do 1º Grupo de Assessoras de Lactação em Portugal e receber mentoring durante 3 meses?

Se respondeu SIM a estas questões, este curso é para si!



ALGARVE COM VAGAS LIMITADAS - Desconto para inscrições de 2 ou mais pessoas

Porto e Lisboa - esgotados

Toda a informação e inscrições em amamenta.net

A minha mãe cozinha melhor que a tua - ou nem por isso!

Quem segue este blog já sabe que o Tiago é um grande chef e como nós sabemos disso também, inscrevi-o naquele programa "A minha mãe cozinha melhor que a tua".

Nunca pensei que tão rapidamente nos contactassem, mas assim o fizeram e começou o reboliço cá em casa.
A ideia era ser eu a cozinhar e o Tiago a mandar, mas como eu sempre sei qualquer coisinha de culinária fui "rejeitada" pela produção, e avançámos com o convite ao padrinho do Tiago que na cozinha não dá uma para a caixa!

Fizeram o casting antes do Natal, e no inicio de Janeiro foram escolhidos. A partir daí foi um ver se te havias com o pai Fura Bolos a escrever as nossas receitas e a treinar com o Tiago, enquanto o padrinho Pedro ... nem os ingredientes conhecia.
Os outros miúdos cá de casa já reclamavam da repetição dos menus, mas a bem da participação no programa, havia que treinar.

Comeu-se muito caril vegetariano, muita alhada de cação, muitas iscas ... e outras iguarias, até chegar o dia das gravações.

Foi muito divertido vê-los no programa, ver como tudo funciona e conhecer o apresentador e toda a equipa que faz o programa.

Pelos vistos o Tiago foi o mais novo participante e ainda por cima no papel de chef, ou seja a mandar cozinhar um adulto que não sabe cozinhar.

O que será que cozinharam? E será que ganharam? Quando for transmitido prometo avisar aqui para todos verem, por agora ficam algumas fotos.









domingo, 15 de janeiro de 2017

Só dá para babar!

Quando a mais nova está cheia de sono e quer colo e o mais velho está disponível.
Sim, adormeceu, em 5 minutos!

(Tiago 12 anos e 5 meses, Rosita 5 meses!)




sábado, 14 de janeiro de 2017

Natal - amigo secreto

Agora que somos 8, sinto que estamos completos, para o bem e para a confusão (sim, que mal nunca é) e por isso este foi mais um Natal, mas agora a 8.

Como somos muitos, já o ano passado optamos por fazer o amigo secreto para a troca de presentes, e assim cada um só tem que comprar um presente, em vez de 7. Acho que é um bom habito e eles também gostam da ideia, mesmo percebendo que assim não recebem uma resma de presentes, mas sim "o presente".
Este sorteio fazemos umas 3 semanas antes do Natal e assim cada um tem tempo de comprar o presente ideal para o seu amigo secreto.
Se a ideia continuar a resultar pelos anos fora, vão agradecer-me bastante, porque cada um há-de ter muitos sobrinhos e assim sempre fica mais em conta o Natal.

Este ano a sorte saiu assim:

A Rosita deu uma carteira ao pai.
O pai deu um mp3 à Teresa.
A Teresa deu uma almofada em forma de mocho à Julieta.
A Julieta deu uns phones amarelos à mãe.
A mãe deu um mobil de pano à Rosita.
O Tiago deu uma pista  de madeira com um comboio ao Zé.
O Zé deu umas cartas de contar histórias ao João.
O João deu um livro ao Tiago.

Ufa!! Já viram se não fosse assim??

A Rosita esteve sempre a dormir por isso só abriu o seu presente de manhã e parece que gostou muito, pelos sorrisos que deu.
Também guardamos para de manhã um presente que tínhamos comprado para todos, um telescópio. Eles ficaram mesmo espantados porque de manhã já não estavam à espera de mais nada, e gostaram bastante do presente.

Depois foi como qualquer manhã de Natal ... uma sala cheia de crianças, em pijama, a brincar ou a ver os típicos filmes desta época. O Papá é que já não estava pois teve que trabalhar nesse dia.