terça-feira, 28 de julho de 2015

Fazer praia com 5 - dicas de sobrevivência

Fui, estive, voltei e sobrevivi! Foi um dia intenso, foi o primeiro dia de férias, oficialmente para mim e para os miúdos.

Este ano tinha-lhes prometido que o mês de Agosto era para eles, completamente para eles, para irmos à praia, para estarmos juntos, para terem a mãe de todos só para eles, sem costuras e quase sem mais nada. E o Agosto para nós começou hoje.

Parece loucura, ir sozinha para a praia com 5 crianças em que a mais velha vai fazer 11 anos e a mais nova vai fazer 1 ano, mas se uma mãe de 1 vai para a praia com o seu filho, eu, mãe de 5 não posso simplesmente dizer que não dá, até porque eles são 5 mas cada um é um.
Então enchi-me de força de mãe, aqueles super poderes que qualquer uma de nós tem, seja mãe de um ou de muitos, e pensei que era capaz, que eu mereço, eles merecem e só nos vai fazer bem.
Para resultar falei com eles e expliquei que quando há um casal na praia com 1 filho, são 2 adultos para 1 criança, e no nosso caso será 1 adulto para 5 crianças, por isso a logística tem que ser diferente e respeitada.

E porquê isto tudo? Sim porquê agora tanta coisa à volta de uns simples mergulhos, afinal eu sempre fui com eles à praia, quando eram 3, 4 e mesmo muito grávida do 5º, mas eram umas idas fugazes, assim a atirar para a rapidinha, sempre com a desculpa da falta de tempo, desculpas que nós adultos arranjamos para boicotar as nossas próprias vontades.

Este ano, este Agosto será diferente, prometi aos miúdos mas acima de tudo prometi a mim mesma que era capaz. Capaz de enfrentar o calor, as birras, as gargalhadas, os choros, as areias, as bolas de Berlim. Capaz de aproveitar o tempo que tenho para eles com eles.

Eu sou capaz, e tu também és. Aqui ficam algumas dicas para simplificar.

Em primeiro lugar fizemos em conjunto uma lista de regras para "antes da praia" e "depois da praia", assim será mais fácil sair e chegar a casa e não haverá desculpas para não cumprir, se não for cumprida terão que aceitar as consequências. Por exemplo se não estenderem os biquinis, na manhã seguinte não podemos ir à praia porque estão molhados.

Depois o nosso carrinho, o Bobi. Toalhas, lanche, fraldas, protector solar, pó de talco e água, tem que caber sempre tudo no Bobi, e estar sempre tudo pronto no momento de sair de casa. assim é muito mais fácil, vai tudo junto, evitam-se esquecimentos, não à jogo do empurra com os sacos, e eles até gostam de o levar.

O Zé sempre no sling ou pano, o carrinho só serve para empatar, e assim tenho as mãos livres.

Pensar em lanches simples e nutritivos. Para as manhãs fruta, toda já cortada numa única caixa de plástico, para todos. Para as tardes uma sandes a cada um e um sumo, assim aguentam até mais e podemos voltar já quase de noite. E muita água sempre no carrinho.

Na praia a roupa e chinelos tem que ficar toda junta debaixo do chapéu, sim é básico, mas o ano passado a Teresa conseguiu perder uns chinelos na praia ...

Combinar a hora de saída da praia. Estabeleci que às 11h era hora de começar a arrumar tudo, vestir e ir para o carro. Mesmo assim para terem uma ideia hoje cumprimos essa hora e só às 11h30 é que pus o carro a trabalhar. São muitos pés para sacudir, camisolas para vestir e cintos de segurança para pôr, mas acho que meia hora não está mal, é pouco mais de 5 minutos por filho.

Ao chegar a casa os banhos são aos pares. Dois a dois na banheira, e os mais velhos ajudam os mais novos. Enquanto isso eu preparo o almoço ou jantar e depois dou banho ao Zé. No fim de tudo tomo eu banho, o que quase considero um feito épico!

As refeições querem-se simples, saborosas e garantidas. Ninguém quer birras para comer depois de um dia de praia. Eles até são de boa boca, mas o cansaço às vezes prega partidas, por isso pedir ideias, fazer os pratos favoritos, jogar pelo seguro é meio caminho andado para uma refeição mais feliz.

E o mais importante de tudo, antes de pôr o pé na areia, principalmente de manhã, a Mãe de Todos TEM que beber um café, pode ser ao balcão e rápido mas tem que ser respeitado, são os meus 5 minutos.

Agora podem fazer a pergunta : E o pai Fura Bolos?
Pois é, no mundo ideal o pai iria connosco todos os dias para a praia mas o pai trabalha e precisa muito de descansar nas poucas manhãs que tem livres, por isso o melhor que lhe podemos dar durante o mês de Agosto são umas horas de descanso e sem barulho em casa. Aos domingos recuperamos e estamos todos juntos.

Aqui ficam fotos de ontem e hoje, das idas e vindas da praia.

















1 comentário: