quarta-feira, 22 de julho de 2015

Às voltas com a rotunda

A construção de rotundas ao longo da estrada nacional 125 (Algarve) tem sido cá uma empreitada de tempo, atrasos e transtorno para quem vive, trabalha e também para quem vem de férias até cá.

Tenho que concordar que as rotundas fazem o trânsito andar muito mais depressa que os semáforos, principalmente no inverno quando quase não há carros na estrada mas ainda assim tínhamos que esperar largos minutos por um verde, mas tenho muito a apontar a como tudo está a ser feito.

As obras ao longo de toda a estrada,  pelo menos entre Lagos e Sagres, estiveram paradas meses a fio, máquinas, material, montes de terra e pedras, falta de sinalização tudo isto ao abandono ao longo de quilómetros mas, assim que os primeiros calores se fizeram sentir, não só apareceram os turistas como os trabalhadores!  Que bela junção, trânsito sazonal e obras na estrada, com desvios, cortes, esperas, filas...  Quem cá vem de visita leva um belo postal para recordar, quem cá mora e trabalha recorda que sempre assim foi, se há obras a fazer então avança-se na época alta. 
Sim, podem vir dizer que são problemas de contratos , empreitadas, atrasos, podem dizer isso tudo, mas isso tudo não retira o stress principalmente de quem tem que usar esta estrada no Verão para trabalhar, e aqui não estou a falar de mim que estou em casa e tenho o meu tempo, mas estou solidária com todos os outros!

Isto só por si já era bastante para eu escrever aqui, mas não é que há mais?
Ora então vamos lá, e se entre os que me lêem houver engenheiros civis, agradeço opiniões profissionais, já que eu sou apenas uma mãe que conduz.
Vale de Boi é uma das aldeias que ficou sem semáforos para passar a ser servida por uma rotunda e até aqui concordo, mas desta maneira? 
A rotunda tem 3 saídas, para além da estrada principal, 2 saídas para caminhos rurais e a saída para a aldeia.
As duas saídas para caminhos rurais têm e bem, acessos largos, com triângulo e espaço para dois carros (ou um tractor e um rebanho de ovelhas)  se cruzarem sem problemas.
A saída para Vale de Boi, relembro que é a única aldeia servida pela rotunda, tem um acesso onde mal se cruzam dois carros, onde quem entra mais parece que está a voltar para trás, sem triângulo de separação, com 2 supostas faixas que juntas têm a largura de uma só e sem bermas.
Será porque os rebanhos ocupam mais estrada que um carro?
Com tanto espaço e uma obra feita de raiz será que foi engano e ninguém reparou que para ali é que era a aldeia? 


Acesso a Vale de Boi:

A entrar em Vale de Boi






A sair de Vale de Boi


Acesso rural:
Triângulo de separação, largura


Outro acesso rural:
Triângulo de separação, largura