quarta-feira, 1 de junho de 2011

Insólito nocturno

Quando todos dormem, a casa fica em silencio, um silencio que por vezes é quebrado por um ressonar, um gemido, um chorinho, um sonho mau, ou uns passinhos.
Normalmente o ressonar é do pai Fura bolos, o gemido é da Julieta que quer mamar, o chorinho é do João que perdeu a xuxa, o sonho mau é do Tiago e os passinhos são da Teresa que vem para a nossa cama, isto tudo se passa ao longo da noite, quase todas as noites...

Hoje o silêncio foi quebrado mais cedo, ainda a Mãe de todos estáva no sofá quando uns passinhos se ouviram, apressados, e na direção da porta da rua. Pelo tamanho do vulto percebi que era o Tiago e não a Teresa, chamei e de resposta ouvi um resmungar qualquer. Levanto-me do sofá e encontro o Tiago junto à porta da rua sem os calções do pijama e já a fazer o seu xixi para dentro de uma bota do pai Fura bolos.

Ri-me, ri-me muito, encostada à parede a assistir à cena e quase não continha eu própria o meu xixizinho de tanto rir! Quem não achou tanta graça, pelo menos no momento, foi o pai Fura bolos quando percebeu que era a bota dele!

Ora no meio do sono, no meio da noite e ás escuras que diferença faz? Só mesmo pelos atacadores!





O Tiago, esse, nem acordou, voltou para o seu quarto, vestiu os calções e deitou-se. Amanhã será que se lembra deste insólito.