domingo, 19 de junho de 2011

Maria

Dar nome a uma criança é uma responsabilidade para a vida, é difícil pensar se vai ficar bem, se eles vão gostar, se nós vamos gostar, se vai ser fácil aprenderem a escreve-lo ... enfim.
Às vezes usam-se os nomes da avó, ou do pai, ou da tia ou até do bisavô e depois quem tem que andar uma vida inteira com o nome é a pobre da criança.
Outras vezes há os nomes que sempre se pensaram para quando houvesse um filho.
A Mãe de todos nunca teve nomes de sonho para filhos, o pai Fura bolos sempre disse que tinham que ser começados por letras mais para o fim do alfabeto e sempre com dois nomes, para os dias de birra, e baseados nisto já tivemos que arranjar 4 nomes, quer dizer 8 porque cada um tem dois.

A decisão final é sempre tomada no momento em que eles nascem, até lá só têm direito a alcunhas.

Tiago Miguel foi o primeiro nome que demos a um filho, decisão difícil para a Mãe de todos, achava mesmo muito complicado arranjar um nome, T para ser do fim do alfabeto, Miguel para ter o segundo nome para dias de birra. Chamamos-lhe Tiago ou Tiago Miguel. Os manos chamam-lhe Gago quando começam a falar, Tigago quando já acham que sabem falar e finalmente Tiago quando realmente já falam bem.


 

- Tiago que nomes gostavas de dar ao mano ou mana que a mãe tem na barriga?
- Teresa se for menina Manel se for menino. – deduzimos que a inspiração vinha da Ursa Teresa do Noddy e Manel não sabemos.






- Tiago, o que achas de Teresa Margarida? – perguntou uma prima que se chama Margarida, na tentativa de influenciar.
Para a Mãe de todos parecia um comboio de nomes, Teresa era nome de gente grande, Margarida era  nome grande.

- Então como se vai chamar a menina? – perguntou a enfermeira já na sala de parto
- Não sabemos, estamos à espera que saia para vermos do que é que tem cara.
A Teresa nasceu grande, tal como o nome pedia, e nasceu a dia treze, nada mais apropriado, então pai e fica Teresa quê? Se é Teresa então que seja Teresa Margarida!
Nós chamamos-lhe Teresa, Teresa Margarida ou Teté. Os manos chamam-lhe Teté e ela própria também se chama de Teté.



Todos queriam mais um TM, a Mãe de todos também queria mas o pai Fura bolos disse logo que não e não, só porque todos queriam, não haveria de ser!




- Tiago que nome gostavas para este mano?
- Não sei
- Teresa, que nome queres dar a este mano?
- Não sei

E assim foi até ao dia, o dia em que ele ia nascer e tínhamos que lhe dar um nome. João era o padrinho, Manuel era o nome que já vinha de trás.
O pai Fura bolos na hora H, na hora em que a Mãe de todos já só soprava ainda sugeriu Afonso Henriques, quase que saltei da cama para lhe bater!

Nós chamamos-lhe João, João Manuel, Jonny, a Teresa deu-lhe o nome de Didi, vá-se lá saber porquê, e os miúdos chamam-lhe Didi ou João.

Agora todos queriam outro/a JM e a Mãe de todos também queria e desta vez o pai Fura bolos também.

A barriga da Mãe de todos começou a crescer.
-Teresa, achas que é um menino ou uma menina na minha barriga?
- Acho que é uma Julieta!




Ai Julieta, que nome de velhota, nome de gente, nome que já não se usa. A dra sugeria Joana, Jessica, Janaina, Júlia, Jaina, Juliana. E começou a tratar a minha barriga por Juju ou Ju nas consultas. Para a Mãe de todos era a Flausina Maria, até ter direito a nome.

A miúda nasceu, e não é que na hora não fomos capazes de desapontar a Teresa.

Julieta Maria, Julieta, Ju, Juju, ou Jujuca como a Teresa inventou e os outros repetem.
Assim é como nós a chamamos, até um destes dias a avó ter vindo com a invenção de “Jullie” ou "July" , nem sei escrever tal invenção, ninguém gostou, os miúdos não gostaram, a Mãe de todos tão pouco e pai Fura bolos menos ainda.

- Avó, se fosse para ser Júlia eu tinha-lhe chamado Júlia, pode ser Julieta, Julieta Maria, Ju ou Juju  e para quem não gosta, Maria!