domingo, 16 de julho de 2017

A paragem!

Aqui se faz adeus a quem parte, aqui se abraça quem chega, aqui brincam os miúdos da escola enquanto o autocarro chega e não chega, aqui se juntam senhoras a ver quem passa.

Apesar de não passarem em Budens os expressos de longo curso, este foi o mote para esta grande obra de arte. As lembranças de quem partiu, o que fica para trás, a infância, a juventude, os velhos, o moinho ... a aldeia.

Não sei o nome de quem pintou, sei que foi um rapaz e uma rapariga, com mestria de quem sabe desta arte, deixaram a paragem linda e com vontade de lá parar.

As pinturas são tema de conversa, é giro ouvir as várias opiniões e interpretações. Dá vontade de sentar e apreciar. Adoro o pormenor da miúda no triciclo de cuecas à mostra! Gosto das cores, gosto de imaginar o que pensa o homem deitado, o que levará na mala.

Gosto das letras em grande destaque, quem chega sabe que chegou a Budens!









Assim ao longe até quase que o Tiago passa por viajante! 



Claro que agora há quem vá dizer que isto é tudo por ser ano de eleições ... olha e se for, pelo menos ficou obra feita, e bonita! (muito mais há a fazer ... digo eu que nem gosto de politica!)