sábado, 13 de fevereiro de 2016

Saturday night fever

Dói - me o rabo de estar sentada.
Estou sentada há 2 horas e meia, no colchão do chão da sala, aquele onde o Zé brinca, e não me posso mexer. O Zé, com a febre a ir e a voltar, deitado em cima de mim, acusa qualquer movimento meu para além do pestanejar. 
O portátil onde estava a ver TV entrou em modo screen saver e não lhe consigo chegar. 
Na lareira lá ao fundo vejo o fogo a perder força, quase já não há chama, e a lenha mesmo ali ao lado. 
O silêncio invadiu a sala, é apenas quebrado pelos delírios febris do Tiago que dorme no sofá à minha frente, com o alguidar no chão à espera do próximo vómito. 

Como se não chegasse,  a vontade de fazer xixi começa a apertar, lembram-se, estou grávida e as grávidas fazem muito xixi

Como é possível pensar que não há emoção num sábado à noite de uma mãe. Literalmente Saturday Night Fever!