quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

O rapaz do call center não tem culpa

mas que enerva bastante uma pessoa ligar, ouvir gravações, menus de escolha, para isto prima 1 para aquilo prima 2 para o outro prima 3 e se quiser falar com a prima prima 9 ..., enerva. Raios!

Depois de 5 dias de telefonemas, de telefonemas de 50 minutos e mais, de ser passada de mão em mão, leia-se de ouvido em ouvido, chegar a lado nenhum, promessas de que o assunto é prioritário, tem razão minha senhora ... e bla bla bla , depois de quase de lágrimas nos olhos de enervada que estava, depois de dizer "e mais não digo porque se não vou ser mal educada consigo e você não tem culpa! " calei-me  quase que já só acenei com a cabeça enquanto o ultimo rapaz do call center, aquele que não tinha culpa nenhuma, me ia dizendo, com voz suave e colocada (como eles devem aprender na formação), que iria mais uma vez pedir urgência no meu caso e para eu ter paciência, mais uma vez!

E assim fiquei, em silencio, comigo só, a digerir os nervos que apanhei neste ultimo e derradeiro telefonema... e de repente os meus pensamentos são interrompidos pelo toque do telemovel, e não, não era o rapaz do call center, era o Pai Fura Bolos, que finalmente ao fim de tantos dias e tantos telefonemas, voltava a ter voz e telemovel activo!!

M4O ... pois parece que é bom ... mas digo já que os serviços de apoio não prestam, não desfazendo a voz bem colocada do rapaz do call center.

A todos os rapazes (e raparigas tá claro) dos call centers espalhados por aí, que não têm culpa nenhuma mas que nos têm que ouvir, dedico este meu desabafo!