segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Síndrome do envelope branco

A fazer as torradas do pequeno almoço, paro tudo e digo

"Opá! ... O que me está a fazer confusão é o que oferecer ao João e à Maria, possa, se é dinheiro nunca é nada e a típica jarra de cristal não faz o estilo, nem meu nem deles!"
"Então mas isso é fácil, oferecemos uma coisa que não há nas lojas."
Resposta pronta e rápida do Pai Fura Bolos que estava sentado à mesa à espera das torradas. (que fique aqui a nota que a maior parte dos dias é ele que faz o pequeno almoço, neste calhou-me a mim)

Estávamos convidados para o casamento do João e da Maria, com enorme prazer aceitamos e nem poríamos a hipótese de não ir, são compadres, padrinhos da nossa nº 2, amigos, companheiros e juntos há tanto tempo como nós, apesar de terem uns bons anos a menos que nós.
Eles vieram ao nosso, e nós iríamos ao deles, com toda a certeza.

Havia para resolver o problema da roupa, que para mim é sempre um problema pois o chinelo e a calça de ganga que todos os dias visto não faz parte do dress code destes eventos, e o fato de casamento do pai Fura Bolos encolheu de tal maneira que já não lhe serve na barriga ( com o passar dos anos parece que a roupa encolhe no armário...) e os miúdos que queriam roupa nova e um vestido de princesa para a Teresa... (e vá lá que só levamos 2 ... mas confesso que andei o fim de semana todo a suspirar pelos outros 2 e quase que colei na testa um papel a dizer "Tenho mais dois mas ficaram em casa!")


Entre empréstimos e compras, lá nos vestimos todos para o acontecimento e agora era altura de voltar ao presente...

"Então mas o que é que não há nas lojas?" pergunto eu já com as torradas prontas e a caminho da mesa.
"Mimalhos!"


E foi aí que o pai Fura Bolos teve a grande ideia de pedir um desenho antigo do João à mãe do João e um desenho antigo da Maria à mãe da Maria e fazer dois Mimalhos, emoldura-los e oferece-los como presente de casamento único e especial, muito especial.

A mãe do João já não tinha nada do tempo de escola, mas a mãe da Maria enviou-me um desenho muito colorido e alegre que a Maria tinha feito com 5 anos, e foi com esse desenho que trabalhei.










 Assim nasceram o Mimalho 68 e Mimalho 69 e no dia da festa em vez do monótono envelope branco oferecemos um embrulho grande e bonito com os Mimalhos dentro.






Pequenos apontamentos: 

- A Teresa esteve tão feliz, pois foi uma das meninas das alianças ... e só conseguiu perder 1 aliança 1 x no meio do vestido da noiva, que orgulhosa que eu fiquei da minha filha... 



- Obrigada à minha amiga Edite Candeias que fez um trabalho extraordinário com a moldura dos Mimalhos.


- Se quiser um Mimalho, por favor visite http://miminhosdamaedetodos.blogspot.pt/ ou https://www.facebook.com/miminhosdamaedetodos


Muitas felicidades aos noivos e obrigada pai Fura Bolos por acreditares no meu trabalho!