terça-feira, 14 de março de 2017

Viajar, mesmo com uma bebé


Este será o primeiro de alguns posts sobre viagens longas de transportes públicos mesmo com bebés pequeninos.

A Rosita tem agora 7 meses e é uma bebé carregada, ou seja, uso porta bebés ergonómicos para a transportar sempre junto a mim e ter as mãos livres.

Nesta viagem usei um mei tai, um porta bebés muito prático e fácil de usar, um misto entre um pano e uma mochila. Não tem fivelas mas também não é tudo amarração. Eu gosto e acho-o muito simples e fácil de pôr e tirar.

A viagem de Lagos a Lisboa passa por comboio regional, uma mudança de comboio para o inter-cidades, metro e uns quarteirões a pé, tudo isto com uma mochila às costas e uma bebé no mei tai.

Não há escadas que me intimidem ou me façam ter que procurar um elevador, coisa que aconteceria com um carrinho de bebé. Não há ovinho a atrapalhar no corredor do comboio, não há carrinho a trepidar na calçada ou a encalhar nas portas do metro.

Sim, já fiz viagens com bebé e carrinho, noutros tempos, por exemplo uma ida à Holanda onde o carrinho se tornou um transtorno pois muitas estações de metro e comboio não tinham mesmo elevador ... e nem escadas rolantes... imaginem se estivesse sozinha?
Por ter passado por essas experiências, posso agora comparar na primeira pessoa as duas situações, e sem dúvida que ganha o bebé carregado!

Dormir no comboio é possível e seguro, assim!


Andar de metro e poder segurar-se sem problemas, é possível assim!



Trabalhar no computador é canja, assim!


Ficam a faltar umas fotos a comer e a passear, mas para a semana há mais!