sábado, 28 de fevereiro de 2015

Boca no trombone!

Uma tarde de descobertas. 
Eu não tenho jeitinho nenhum para a música, em tempos idos, mesmo idos há muito tempo, tentei aprender viola, e até me lembro de ter conseguido sacar os acordes do "Yesterday" dos Beatles mas não passou daí. 
O pai Fura Bolos tem jeito, tem ouvido e tem voz mas também não toca nenhum instrumento, parece que há muito muito tempo também ele aprendeu solfejo mas pronto, foi só isso. 

Hoje foi a oportunidade dos nossos filhos experimentarem vários instrumentos e realisticamente pensar que podem sim aprender música. 
Porque são muitos, porque normalmente as aulas são caras, porque os horários normalmente são incompatíveis  porque muitos outros porquês ainda não tinha sido possível.

Hoje o convite era para experimentar, ouvir e quem sabe cativar miúdos suficientes para uma turma na Vila do Bispo e assim começar uma escola de música. Aceitamos o convite, experimentamos, ouvimos e deixamos a nossa inscrição feita. 
Feliz porque nenhum escolheu o maior tambor nem bateria ... corremos esse risco, e se os 4 quisessem aprender bateria??? Já imaginaram o que podia ser um simples ensaio cá em casa?


Podia comentar todas as fotos, mas acho que esta diz quase tudo sobre a nossa tarde!









Por fim temos então.
A Teresa e o Tiago a gostarem, escolherem e terem bastante jeito para o clarinete.
O João a escolher a flauta porque os outros fazem muito barulho.
A Julieta a dizer cá em casa (não quis experimentar nada lá) que também quer a flauta, vai é ter que esperar até ter mais um aninho pelo menos ... mas isso ela ainda não sabe.
O Zé a dormir ou mamar ao som disto tudo, como não podia deixar de ser.

Aqui os meninos que já fazem parte da Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio a darem um concerto para mostrar que apesar de pequeninos já sabem tocar muito bem.



Obrigada aos professores da Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1.º de Maio  pela paciência com todos os meninos e por tão bem lhes mostrarem como é divertido aprender música. Mais informação aqui

Daqui de casa contem com 3 já para a nova turma!

Dieta mediterrânica - património imaterial da humanidade

Porque o saber não ocupa lugar.
Comer e estar à mesa é bom.
Comer bem e saber cozinhar de maneira saudável é ainda melhor
Uma noite destas fui assistir a este workshop com o Chefe Augusto Lima

Que coisas boas que fizemos, vimos fazer e provamos!

Pão ázimo (Sem fermento);
Caviar de beringela e pimento;
Papas de milho (xarém) doces e salgadas;
Polvo salteado com batata doce;
“Batonese” (“maionese” de batata doce);
Cataplana de peixes;
Legumes mediterrânicos;

E ainda houve tempo para fazer um arroz de polvo também!
Que maravilha, estava tudo tão bom!

As explicações do chefe.




O Zé como é um bebé amamentado e carregado ao colo teve que ir comigo e não se chateou nada! Dormiu no pano enquanto eu amassei pão, andou ao colo de outras pessoas enquanto eu tirava algumas fotos, mamou várias vezes e por fim provou o pão ázimo!





Legumes mediterrânicos.



Polvo salteado com batata doce.



Cataplana de peixe.



Papas de milho salgadas.



segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Alegrias debaixo da mesa.

A Esteva normalmente está no quintal ... mas agora vai passar a entrar mais vezes cá em casa e sou mesmo eu que a chamo!

O Zé gosta das bolachas que a mãe fez, ainda que mais nenhum dos outros tenha gostado (pronto confesso que não ficaram das melhores , mas comem-se) e a Esteva gosta das partes que o Zé não come. É o que se chama de amigos que se complementam. 







Sim, eu sei que o Zé tem um babygrow às florinhas ... mas também sei que vocês sabem que o Zé tem 2 irmãs mais velhas.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Sonhar não custa ou pai já ganhavas o euromilhões!


E era isto!
Hoje a arrumar compras dei por mim a sonhar, tudo porque a abóbora teve que ficar de fora.



E já agora uma despensazita destas. Com prateleiras para tudo e mais alguma coisa, caixas e caixinhas e até cestinhos fofinhos. 

A nossa não é grande mas também não é pequena, vá, vou tentar inspirar-me e fazer uma daquelas remodelações lowcost mas efectivas. 







Mas paizinho, não te acanhes, podes sempre ganhar o euromilhões...

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Carla, a culpa é tua!

É que uma pessoa agora não anda descansada!! É andar sempre com os olhos postos no chão em busca de flores e plantas, tudo por causa do livro da Carla! 

Haverá prémio para quem encontrar as 200 espécies primeiro? 
Se isto se tornar um vicio o que vale é que não custa dinheiro nem faz mal à saúde! 

Saramagos 



Cebola-albarrã ou Jacinto dos campos


Pombinhas



Ena, que grande charco! Para a próxima temos que trazer camaroeiro para ver que vida há no charco.
No jardim de infância o João e a Julieta estão a participar no projecto Life Charcos.



domingo, 15 de fevereiro de 2015

Zé a pão e água!

Apesar de 90% da sua alimentação ser leite materno o Zé já anda a experimentar outros sabores. Pão só mesmo para entreter quando estamos à mesa a comer, e água para aprender a gostar e a beber. 


video


A arte da palhinha tem sido ensinada a todos logo aos 5 ou 6 meses cá em casa e o Zé aprendeu à primeira tal como os irmãos!

video

It´s just you and me together forever

Decidir à ultima da hora que queria ir ter com o Pai Fura Bolos e ter o prazer de degustar um menu digno dos deuses do amor, deu em correria, claro!

Rapazes para uma avó, raparigas para outra, Zé metido no ovo porque tem que ir atrelado a mim, atender um telefonema de uma grávida enquanto enfio um  qualquer trapinho mais adequado à noite, e sair de casa tudo isto em 30 minutos não é pêra doce, mas valeu a pena.

Um Daikiri de morango (alcool free) feito de propósito para mim pelo Pai Fura Bolos.


E o menu do Chefe Lima, de comer e chorar por mais!

Vénus - preliminares


Afrodite - a sua entrega


Cupido - a entrega dele


Vulcão - o êxtase


Enquanto jantamos  a Dora Barradas da Workchoco ao Domicilio foi fazendo bombons deliciosos, ali mesmo ao vivo, que se derreteram na boca acompanhados de um delicioso chá.



E um coração de alfazema para cada senhora, um presente perfumado da Mãe de Todos


Restaurante Hugo Beaty, na Praia da Luz

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Carnaval de luz

Muito sol, luz, arco-íris e alegria, foi assim o Carnaval desta manhã, aqui mesmo na aldeia, festejado pelos meninos do Jardim de Infância e da Escola Básica.

Eu sou suspeita em dizer que este foi o desfile mais bonito do ano, com 2 filhos no Jardim de Infância, 1 na primária e um comigo ...

Os pequeninos todos perfilados!


A desfilar com a escola nova ao fundo! Quando é que vamos para lá?


Os quatro, 3 sois e um arco-íris lindo!


E aqui com o amiguinho Xavier, para quem fiz também um gorro, neste caso com uma nuvem! Tão giros e fofinhos.

O Zé está enfiado num fatinho de malha que a avó Gina, minha avó, fez quando o Tiago nasceu, e mais uma vez ninguém usou até agora!!
Calcinha e casaquinho de malha, tão anos 80!!




quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

E daqui a 10 anos?

Hoje ao serão fiz um coração da alfazema para  Tiago oferecer a uma amiga e um gorro para o bebé Zé se mascarar de sol.

E daqui a 10 anos? Vejo-me a fazer um coração de alfazema para o Zé oferecer a uma amiga ... e a olhar para o relógio e constatar que o Tiago fica a dormir com uma amiga!

Não sei se estou preparada para isto!


Tiago na cozinha

- Oh mãe, hoje preciso reservar a cozinha por hora e meia, mais ou menos - quando chegou da escola ontem
- Por mim pode ser, e o que vais fazer?
- Um bolinho de laranja!

Oh Tiago, que bela ideia, e podes ter muitas mais dessas, a mãe e a minha gula agradecem!


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Peças com história

Não é de estranhar que com 5 filhos haja peças de vestuário, material de passeio, utensílios de comer ou brinquedos com história, muita história e muitas histórias para contar.

Há aquele babygrow que já foi de todos e todos vestiram. E há também os que apesar de novos nunca serviram a ninguém.
Há a cadeira da papa que já serviu para os 4, foi usada por uma amiga e está de volta para o Zé comer.
Há o brinquedo que faz barulho, que é um polvo mas que eu sempre achei que parece uma banana que vem desde o Tiago bebé e até já foi passear à Holanda.
Havia o carrinho que eu deitei fora porque já acusava muito uso e que tinha servido tão bem agora, soubesse eu que ia engravidar outra vez.

E há a toalha de banho. A típica toalha de banho bordada a ponto cruz, aquela que todos os bebés têm, daquelas que todas as avós bordam, aquela que fica tão gira com o nome do bebé, ou não.

Estava eu grávida do Tiago quando a avó Guida comprou linhas e uma toalha para bordar, um barquinho  e o nome TIAGO.
E o barquinho nasceu, umas bolinhas e um T...
E a Teresa nasceu e o barquinho, as bolinhas e o T ganharam um E como amigo.
E o João nasceu e a avó desmanchou o T e o E e fez uma estrelinha.
E a Julieta chegou e a avó nem do lençol se lembrou.
E hoje o Zé, 5º filho, 5º neto teve honras de estrear a toalha, bordada agora com o barquinho, 2 estrelinhas e 2 bolinhas. E desta vez quem quase se esquecia de usar a toalha era eu!

Mas digam lá que não é gira a toalha de banho que a avó Guida fez para ... os netos, sim, digo netos no plural porque ao fim ao cabo foi de todos e quase que não era de nenhum!

E a sorte que a avó Guida teve de eu não me ter ficado só por um filho, sorte que teve em eu lhe ir dando motivos e incentivos para acabar o bem dito do lençol de banho.




E nem vou aqui mencionar que as más línguas diziam que a avó havia de acabar a toalha quando o Tiago fosse para a tropa, que gente essa com ideias tão disparatadas! (eu)

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Julieta no seu melhor

- Oh mãe, mas não cresceu!
- Não cresceu o quê, Julieta?
- O meu cabelo! - com ar zangada - e tu disseste que se cortasse muito crescia mais depressa!

(lembrar que passaram 3 dias desde que cortou o cabelo!)

Onde comem 6 comem 7

Ontem fizemos 6 meses de Zé fora da barriga. 6 meses de muito crescimento, de muitas brincadeiras com os manos, de muitos miminhos com a mamã e o papá e de muita maminha.

A excitação dos manos pelos 6 meses do Zé era muita, não que a data seja assim tão importante para eles mas porque eu tinha-lhes dito que só aos 6 meses é que o Zé podia começar a comer alguma coisa, assim comida como a deles, ou parecida pelo menos.
Quase que contaram os últimos dias um a um e a faltar 1 dia para os tão esperados 6 meses não se aguentou mais, Zé Miguel comeu sopa!

- A primeira colher dou eu! - gritava a Julieta
- Mas é sopa de quê mãe? - perguntava a Teresa
- É com colher? - queria saber o João
- Tão giro mãe - dizia o Tiago, um pouco mais calmo que os irmãos mais novos.

E sem saber como nem porquê, Zé Miguel viu-se metido no meio de 4 gaiatos, um pai e uma mãe de máquina na mão, claro) todos à espera que ele comesse uma pratada de sopa!


Apesar de estarmos à espera dos 6 meses não foi só isso que pesou na decisão de iniciar alimentação complementar.
O Zé estava muito bom só com mama, o leitinho da mamã continua a ser o seu alimento principal, mas ele deu sinais, sinais de que estava pronto para uma nova etapa.

- Mete tudo à boca sem meter a língua para fora (está a perder o reflexo de protrusão da língua, um reflexo que protege as vias aéreas)

- Senta-se direito sem ajuda, isto é importante pois adquire uma posição onde as costas e o pescoço ficam direitos o que evita os engasgos

- Mostra muito interesse na nossa comida. Adora estar à mesa e ver os irmãos a comer. Ainda não roubou nada do prato de ninguém apenas porque não chega lá!

Perante estes sinais todos, não podíamos adiar mais. Agora onde comem 6 come 7, as manas adoraram a sopa do Zé, pediram para fazer para elas, e é assim que vai ser, gradualmente o Zé vai entrar na alimentação da família, vai ter escolhas adaptadas para ele e vai ter a possibilidade de comer sozinho, o que quer, como quer e quanto quer (mais informação aqui baby led weaning).

Diz que vai começar mais uma aventura ! - o que diz o Zé